Living Design | Sedução francesa
266
post-template-default,single,single-post,postid-266,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode_grid_1300,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-17.2,qode-theme-bridge,disabled_footer_bottom,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-5.6,vc_responsive

Sedução francesa

O savoir faire francês influenciou o estilo de vida da primeira capital do Brasil, o Rio de Janeiro, e se espalhou para o restante da nobreza do país. Tal era importância dada aos costumes franceses na época que o pintor francês Jean Baptiste Debret (1768-1848) chegou a retratar o cotidiano carioca no Império ao Journal de l´Institute Historique, afirmando que “a moda, essa mágica francesa, em boa hora fez sua irrupção no Brasil. O Império de d. Pedro tornou-se um dos seus mais brilhantes domínios: ela reina ali como déspota, seus caprichos são leis: nas cidades, toaletes, refeições, dança, música, espetáculos, tudo é calculado a partir do exemplo de Paris”. Já no Rio da Belle Époque, surgiu uma arquitetura com traços art nouveau e art déco, que também interferiu no morar da elite carioca. O pé direito dos imóveis residenciais, por exemplo, tornou-se mais altos e os cômodos, mais independentes e ventilados. Ainda hoje é possível perceber esse encantamento dos brasileiros pela cidade da luz. Então, mais uma vez, fui em busca das novidades para decoração na maior feira do setor, a Maison Objet, na França, que, nesta edição, traz o tema “Excuse My French!” (desculpe o meu francês, em português). A ideia é destacar o estilo de vida francês no mundo globalizado. Para a agência NellyRodi, contratada da Maison, há uma curiosidade renovada sobre os franceses no exterior, quase que um fascínio. E os franceses me surpreenderam com criações de objetos ousados, como o Pan musical carafe, ao lado, do designer Pierre Charrié (35) para marca Moustache. À bientôt!

teste

No Comments

Post A Comment